terça-feira, 9 de março de 2010

A polícia de São Paulo mostra todo o seu despreparo.


Uma típica rua da Zona Norte de São Paulo, foi palco ontem de uma situação no mínimo insólita, pra não dizer ridícula.

Tudo começou quando um morador resolveu sair com seu carro e um outo veículo parado em frente a saída de sua garagem o impedia. 

De pronto, ele com todo direito, entrou em contato com a PM que chegando ao local, segundo João Roberto, que possui um restaurante neste mesmo endereço, levantou a procedência do carro e, pela placa, perceberam que ele não tinha identificação. 

No momento em que investigavam o chassi do veiculo, um indivíduo foi até o local e, com arma em punho, começou a xingar os policiais militares. 

- Ele [policial civil] abriu e fechou rapidamente a carteira dizendo que era policial civil e que era para os policiais militares tirarem as mãos do seu carro, pois todos eles eram uns merdas.

Começou a gracinha...

Ambos, tanto os policiais militares quanto o abusado do policial civil, pediram reforços!

E pasmem os senhores, em poucos minutos a rua estava tomada por nada menos que 80 policiais das duas corporações, que se ameaçavam, insultavam e engatilhavam suas armas uns para os outros!

A vítima que acionou a PM e o motivo de toda a confusão desapareceram em meio a estupidez da malha protetora da sociedade, que no momento só pensava em  alimentar seu ego.

Pergunto:

Tá faltando bandido em São Paulo?

Isso é sinal de uma polícia preparada ou de uma bando de moleques brincando de polícia?

Quando um cidadão pede socorro, em uma situação realmente desesperadora é essa competência e empenho que costumamos assistir, ou a polícia só costuma chegar depois, para contar os corpos e fazer um relatório que "tire o seu da reta"?

Pois é policiais, continuem brincando de polícia enquanto o povo morre nas mãos de bandidos. Pois esses não brincam de bandidos, são de verdade, e são organizados!

Estamos  mal de polícia amigos...

Share/Bookmark
Não serão publicados comentários anônimos, nem ofensivos! Se quiser comentar, mostre sua cara, seja educado e coerente!!

7 comentários:

Ítalo de Paula disse...

Piada ... Isso reflete a nossa população, amigo. Do jeitinho, da vantagem pessoal, do benefício próprio.

A polícia é reflexo da nossa sociedade. Ou melhor, pertencem a essa sociedade que preza o individual em detrimento do coletivo.

Cláu Gimenes disse...

Olá Beto, bom dia!

Cheguei até seu blog através do blog da Letícia e do Lucas!!!
Adorei o texto dos soldados e achei excelente seu blog!

Isso que vc postou é lamentável, nos mostra como estamos desprovidos de segurança séria, de uma política que proteja de verdade o cidadão, mas como bem disse o Ítalo, é o reflexo da nossa sociedade, infelizmente!
E, infelizmente, tbm, não é a primeira vez que uma cena patética como esta acontece!!!
No ano passado os policiais civis e militares se enfrentaram tal e qual vc descreveu...

Forte abraço,

Cláudia Gimenes

Beto Fera disse...

Valeu Ítalo, obrigado pela sua participação... seria bom se todos dessem o feedback como vc, assim saberíamos se estamos no caminho certo!
Um abraço!

Beto Fera disse...

Pô Clau, fiquei lisonjeado por ter gostado do meu texto a ponto de me procurar aqui!
Muito pertinente seu comentário, lembro bem daquele incidente da polícia de São Paulo que vc citou...
Volte sempre e seja bem-vinda!
Beto Fera

Cláu Gimenes disse...

Beto,

Obrigada pela recepção e pela visita no meu blog!
Tbm fiquei lisonjeada em ter ver como seguidor...

E se vc me permitir, gostaria de, em tempo oportuno, postar aquele texto lá no Amor Verdadeiro!

Vou te linkar e estarei, com certeza, sempre por aqui!

Tenha um excelente e abençoado final de semana!

Cláu

Beto Fera disse...

Valeu Cláu, o blog é seu!
Use e abuse! rsrsr
Conte comigo sempre!
Um abençoado final de semana pra vc também!
Beijos!
Beto Fera

Tarcicio Andrade disse...

A polícia está despreparada, não digo em termos de equipamentos, mas de material humano. Imagine que após assassinar o cartunista Glauco, o bandido psicologicamente perturbado, ligou para o 190, tentando informar o crime, e do outro lado a atendente (muitas vezes um serviço terceirizado) disse que ele dizia coisa com coisa, e por isso não considerou na ligação!

Depois, Carlos Eduardo, o Cadu, teria ligado mais 11 vezes, procurando a polícia para se entregar, segundo seu advogado informou à imprensa, e nada...nadica de nada. A polícia que, caçando um criminos, permite que ele ligue 12 vezes, sem que o serviço de atendimento emergencial, ou sei lá o que, o 190, funcione.

É um absurdo sem precedentes!

Postar um comentário